Posts Tagged ‘ Musica ’

K-ON!

Eaee!

Hoje, a dica segue como nome de K-ON! o/

Título: KO-N!
Formato: Série de TV / Mangá
Episódios: 13
Gênero: Musical/Escolar/Comédia/Shoujo
Exibido entre: 3/04/2009 – 26/06/ 2009
Estúdio Anime: Kyoto Animation

  Revistas Publicadas: Manga Time Kirara / Manga Time Kirara Carat

Período: A partir de maio de 2007

Editora Mangá: Houbunsha

(*Há 2 volumes especial apenas com as histórias do grupo.)

 K-ON! Nada mais é do que a sigla de “Karui Ongaku”, que literalmente quer dizer “Musica leve ou lenta”, mas pra facilitar, lê-se “Clube de Música”. Pois é, era (ou não..)pra ser música lenta.. A história é narrada ao redor de um grupo de estudantes do colegial o qual Yui Hirasawa, novata que nos primeiros dias de aula sai atrás de algum clube para fazer parte como é tradição nos colégio japoneses. Depois de sofrer uma certa pressão de diversos colegas de escola para entrar em seus clubes e ainda sem se achar apta à participar de nenhum, Yui acaba vendo um cartaz sobre um clube de música e depois de procurar saber um pouco a respeito, decide ir até o mesmo ver como era. Chegando lá, Yui encontra outras 3 garotas na sala e elas por sua vez são as únicas integrantes do clube. São elas: Ritsu Tainaka, Mio Akiyama e Tsumugi Kotobuki. Elas, sabendo que o grupo de música não poderá continuar sem mais um componente, ao verem o interesse de Yui, decidem chamar a garota para fazer parte. No começo Yui fica com receio, já que o único instrumento que sabe tocar são castanholas (e ela fazia isso na pré-escola…), decide não mais participar do grupo, mas depois de algum tempo, de alguns (vários) chás com bolinhos e até um pouco de dó das 3 novas colegas, ela entra para o grupo e assim se forma o novo clube, com as 4 integrantes, cada uma do seu jeito e tocando o seu instrumento, apesar de saberem muito pouco. Yui, na realidade não sabe tocar nada, o que as leva a comprar uma guitarra para ela no começo do anime. A guitarra escolhida por Yui é uma Gibson Les Paul da loja dos pais de Mugi-Chan (fato esse até então desconhecido pelas outras amigas). Depois de muito treino, Yui aprende a tocar, mas começa a ir mal em matemática.. com enforco, passa de ano, e assim o grupo começa a ensaiar cada vez mais.

Agora, se você quiser sabe o que vai acontecer, vai ter que olhar o Anime! HAHA!

Segue aqui um perfil das 4 principais componentes:

Yui Hirasawa – alegre, destraida, as vezes confusa. Tenta com muito esforço aprender as notas em sua guitarra Les Paul e cantar ao mesmo tempo, mas depois de um treino intensivo com a professora de música ela finalmente consegue. Adora comer, e quase sempre é traída pelo estômago.. foi assim que topou ir todas as tardes para sala de música, já que sempre seria recebida com chá e algumas guloseimas. Ela também tem uma irmã mais nova, que por incrível que pareça, consegue ser mais madura do que ela.

 

 

Mio Akiyama – é a mais frágil e centrada do grupo. Muito tímida e envergonhada, é canhota e usa um baixo Fender no Anime. Quando perguntada por Yui porque escolhera o baixo ao invés da guitarra, ela disse que era “embaraçoso” ser a guitarrista, já que esta chama muito mais atenção.. Por aparentar ser mais velha (seu corpo diz o mesmo perto das outras amigas de clube) é sempre uma fonte de inspiração para Yui – “alta, atraente e madura”, segundo ela-. Uma passagem engraçada dela é num dos primeiros episódios quando eles vão de férias para a casa de praia de Mugi-Chan ensaiar para um festival que irá acontecer com algum tempo de antecedência, mas já que estão na praia, aproveitam para irem tomar banho de mar. Nisso, todas aparecem de biquíni. Mio aparece de biquini preto, e por ter mais peito que as outra, acaba irritando Ritsu na beira da praia. A cena realmente é hilária. xD

 

Tsumugi Kotobuki – ou simplismente Mugi-Chan. E tímida, porém muito simpática; “gentil, fofa e bonita”.  Toca piano desde os 4 anos, já ganhou várias competições,  e no clube comanda 2 teclados elétricos, um Korg e outro Yamaha. Quase sempre é ela quem fica responsável pelo lanche do grupo, agradando sempre os gosto de Yui e Ritsu. Seus pais tem uma loja de música no centro da cidade, loja essa onde Yui conseguir comprar sua Gibson Les Paul pechinchada por Mugi. Ah! Os equipamentos de som do grupo de música da escola também são todos da casa de Mugi-Chan.

 

 Ritsu Tainaka – é a bateirista do grupo – geralmente usa uma da Yamaha.  É a mais elétrica e expressiva do grupo, sempre falando alto e pensando em mil e uma coisas na hora do ensaio – quase nunca na música. Ela diz que toca bateria por um motivo óbvio e que convence á todos, mas quando questionada o porque, ela simplismente responde “-It’s sugoi  ne..” (“Porque é legal..”), de forma incabulada – mas depois ela explica que ao ver guitarristas, baixistas e tecladistas tocando, movimentando rapidamente seus dedos, ela fica com vontade de gritar (?). Distraída, esqueceu de entregar o formulário do grupo de música no começo do semestre, o que fez o grupo de música deles não ser reconhecido como um grupo oficial do colégio… – tudo isso porque ela foi comer bolinhos ao invés de assinar o formulário de inscrição do grupo. Ela também adora tirar fotografias para registrar os momentos com suas amigas.

 Aqui vai a abertura e o enceramento do anime!! Tão kawaai! 😀

Segue um wallpaper de presente

espero que gostei! Até a próxima!

Kisu!

C.

Anúncios

The Donnas!

Olááá pessoas! 

 Hoje vou falar de mais uma banda que me influencia diretamente.

 Como já deu pra notaram minha área é a música, principalmente o rock, uma área dominada basicamente por homens, Fato. Mas quem disse que uma banda de garotas não pode ter o devido reconhecimento no circuito rock mundial? Pois bem, a banda à que me refiro se chama The Donnas. Talvez você não as conheça, mas já deve ter ouvido falar nesse nome quando se citam bandas femininas de rock. Com certeza, o que chama a atenção é a atitude, e as letras combinadas com um som potente dessas gurias. “O Ato de tratar os homens da mesma forma que eles tratam as mulheres nas letras das músicas não é feminismo, é uma questão de bom senso.” (Brett Anderson). 

   

  Continue lendo

Let there be Rock!

Post de estréia! 😉

–Ok, seguindo o pedido do Jow sobre escrever sobre uma banda que eu gostasse, dentre elas escolhei os bons e velhos (é, são senhores já! – mas nem por isso menos ativos…) caras do AC/DC pra falar um pouquinho.

Comecei a ouvir a banda já faz alguns anos, mas de uns meses pra cá tenho ouvido o som deles quase que diariamente… e pensar que os caras tão acabadinhos mas tão lá, não largam o osso, e tão sempre afim de fazer alguma coisa nova…  Acho que a banda por si só dispensa apresentações formais, já que a 1ª coisa que se relaciona à essas 4 letras é o senhor Angus Young com sua Gibson SG correndo de um lado pro outro ou fazendo o Duck Walk loucamente pelo palco –e pensar que esse cara tem 54 é tá melhor que muito guitarrista que tem por ae! =P-

 Bom, se formos retomar a história, a gente vai ter que voltar um bom bocado de tempo, pra meados de 1973, quando Angus saiu de sua outra “banda” chamada Kantuckee (banda entre aspas pois essa durou beeem pouco, e depois de gravar uma demo e ganhar certa notoriedade trocou de vocalista e de nome) pra montar uma banda com seu irmão e também guitarrista Malcolm Young. Nisso, chamaram também Larry Van Kriedt, baixista, Colin Burgess, baterista, e Dave Evans, vocalista, para se juntar a eles; mas depois de assinarem um contrato com uma gravadora e tantas idas e

AC/DC - com Bon Scott (ao centro, de pé)

vindas entre os outros integrantes, Bon Scott, um cara já experiente e que também era amigo de um dos irmão mais velhos dos Young,  caiu como uma luva para ocupar os vocais da banda.

E assim foi, de 74 à 80, com CDs como High Voltage, T.N.T., Let There Be Rock, e  Powerage (nessa época, a banda era formada por Bon, Angus, Malcolm, Mark Evans -baixo- e Phil Rudd -bateria-), a partir daí, sempre sendo tomado como referência para muitas bandas e ganhando assim a notoriedade e sucesso que tanto mereciam, pois, querendo ou não, é um som diferenciado dentro do contexto do Rock, só com alguns acordes identifica-se facilmente o som da banda.

A parte um tanto quanto chata da história é a marte do Bon Scott, na manhã do dia 19 de fevereiro de 1980, o que fez a banda cogitar a possibilidade de encerrar suas atividades. Mas como eles sabiam que o desejo de BAC/DC - com Brian Johnson (ao centro, de boina e camisa preta)on era continuar com a banda, fizeram esse favor para o amigo (e pra nós também!), chamando assim Brian Johnson para substituí-lo nos vocais. No mesmo ano, lançam o Back in Black, que é o álbum de rock mais vendido até hoje, com 48 milhões de cópias vendidas no mundo inteiro (quero ver alguma bandinha emo bater essa! HAHA!). Desde o Back in Black, foram lançados mais 9 cds, o último, Black Ice, lançado ano passado depois de uma pausa de 10 anos em termos de lançamento de álbuns inéditos da banda.

Bom, agora é de se perguntar: por que eles fazem tanto sucesso assim, abrangendo desde o público adolescente até os mais velhos, da mesma geração da banda? Seriam as letras, num tom quase que nonsense, contando histórias sobre sexo, drogas, carros, dinheiro, amor e rock’n’roll? Seriam os solos e acordes virtuosos do senhor Angus Young com sua SG, combinada com os vocais de Brian Johnson (e, nortaugicamente, de Bon Scott)? Serão esses motivos e tantos outros misturados quando se escutam as batidas da música..? Não sei, cada um tem seus motivos, e claro, eu também tenho os meus, óbvio!

Ah, e só pra lembrar, o show deles tá marcado pra dia 27 de novembro desse ano aqui no Estádio do Murumbi, em São Paulo, com ingressos que variam entre 75 reais e 300 reais. Além disso, pros interessados (com grana) é possível adiquirir um Box que foi lançado esse ano com algumas raridades da banda (incluindo a caixa, que é nada mais nada menos que um Amplificador -de verdade.) Esse box especial custa em média 817 reais [e tende á ficar mais caro… :(] (Vale constar também: pra quem quer toca as músicas da banda e não sabe, há  uma versão do jogo Rock Band com as músicas do dvd Live at Doninton. – nesso jogo, qualquer um pode se sentir um pouco o Angus solando em Highway to Hell.. fato.)

Bom, acho que era isso! -For Those About to Rock, and AC/DC, I Salute You! 😀

Kisses, and enjoy this Rock’n’Roll!

Cris. 

Beck: Mongolian Chop Squad

Eae pessoal!
Depois de algum tempo sem postar, trago para voces um post sobre (na minha opinião, claro XD) um dos melhores Animes/Mangas que já vi e li =D.

Beck, é um anime pouco convencional, pois a sua trama desenrola-se em torno do cenario musical japones underground (Indie), e depois no cenario musical mundial.

*Aviso aos leitores: A historia a seguir pode e vai conter spoilers sobre o anime/manga Beck, se você não viu, recomendo que naum leia este post até o final!!

A História do anime, segue quase paralelo com a historia do manga, tendo seu 26° episodio com o correspondente Vol. 12 capitulos 34/35, tendo ainda fragamentos do anime ateh o Vol. 14 capitluo 40. O Manga tem 34 Volumes e 102 capitulos + 1 Especial
Manga: http://www.beckon.110mb.com/manga.html

Episodioswww.animesfoda.com/index.php?page=beck

Muscias: http://www.mp3.animaniaclub.com.br/download/mp3-anime/Beck/

Beck

A Historia de Beck (MCS), desenrola-se assim:

Continue lendo